07 Dicas para Deixar seu Render mais Rápido

Atualizado: Jan 17


No ramo de 3D para Arquitetura, não é raro vermos várias pessoas reclamando que precisam comprar um novo computador porque acham que as imagens estão levando tempo demais para serem renderizadas. Acontece, porém, que muitas vezes os renders lentos não são causados unicamente por causa do equipamento, mas por como nós configuramos o Vray. E é exatamente por isso que separamos para vocês 07 dicas especiais que vão deixar os seus renders muito mais rápidos!



1. Cuidado com o Ambient Occlusion


O Ambient Occlusion, ou simplesmente AO, pode ser uma ótima opção para quando se deseja reforçar as sombras de contato (sombras geradas quando temos um elemento encostado em outro) nas nossas cenas. Contudo, é verdade também que, dependendo das condições da cena, o cálculo dele pode fazer o render demorar bem mais que o normal.



Em cenas onde temos tapetes, gramados, árvores, e qualquer outro tipo de objeto que contenha centenas de “facezinhas”, é certo que o render vai demorar bem mais quando ativamos o AO. E é bem fácil entender o porquê disso: se em uma cena simples com um ambiente “cúbico”, contendo apenas uma janela, uma mesa e um conjunto de quatro cadeiras, o Ambient Occlusion vai deixar o render ligeiramente mais devagar por ter que calcular as sombras de contato entre todas as faces da cena, imagine só calcular ter que calcular todas as sombras de contato entre zilhões de folhas de uma árvore ou de “fiapos” de um tapete?! Difícil, não é?


Ah, mas e se ficar mais legal com o AO? Eu, particularmente, quase nunca uso ele, por ser um comportamento “fake”, fisicamente falando. Mas tem cenas que podem realmente ficar mais legais com ele. Aí é tudo uma questão de escolha. Se o ganho não valer à pena a demora extra ou se você está com pressa para entregar um render “pra ontem”, é só deixar ele desligado! =D





2. Trocar o Brute Force pelo Irradiance Map


Brute Force (BF) e Irradiance Map (IM) são duas Engines(“motores de render”) que podem ser utilizadas para os cálculos da nossa iluminação global utilizando o V-ray. Desde o lançamento do Vray 3.4, a opção padrão que já vem habilitada é o Brute Force, mas afinal, que diferença que isso faz? A diferença é que enquanto o BF faz os cálculos de GI o mais precisamente possível, o IM nos permite otimizar o máximo possível.


Configurando bem o Irradiance Map, nós podemos conseguir um resultado bem próximo ao Brute Force, porém muitas vezes mais rápido!




3. Use o Modo Progressive


Até a versão 2.0 do Vray, éramos super acostumados a ver os nossos buckets (aqueles “quadradinhos”) passando durante o cálculo dos nossos renders. Mas desde as novas versões, foi implementado também o modo “progressive”. Não necessariamente existe um modo “mais rápido” entre os dois, mas o progressive tem lá suas vantagens!


Vamos supor que nós configuramos o nosso RayTrace com o Noise Limit em 0,005 (lembrando que quanto mais baixo esse valor, mais noise(ruído) ele irá retirar). Usando o Bucket Mode, ou cada bucket renderiza até chegar nesse limite especificado no Raytrace ou simplesmente não renderiza. Já no Progressive Mode, nós podemos acompanhar o render “ficando limpo” em tempo real! Portanto, se em metade do limite que nós especificamos, o render já estiver bom, podemos pausar o processo e salvar a imagem ali mesmo.


Ou seja, no exemplo acima gastamos aprox. metade do tempo que gastaríamos se tivéssemos usado o modo bucket. Esse tempo vai variar em cada caso, e de acordo com como configuramos o Vray, mas é fato que praticamente sempre conseguimos economizar um bom tempo usando o Modo Progressivo.





4. Utilizar o Denoiser


Essa aqui é uma baita feature que chegou pra economizar e muito o nosso tempo. O Denoiser é um render element que permite o Vray retirar ainda mais noise(ruído) da imagem após o render. É super importante saber usá-lo bem, para que ele não acabe danificando a imagem no lugar de melhorar ela. Usando o preset “Mild” ou um meio termo entre o Mild e o “Default”, conseguimos um excelente resultado, com um render muito mais limpo, de maneira muito mais rápida, e sem danificar a imagem.


***Usando o modo “progressive”, sete a opção “frequency” do denoiser para um valor entre 5 e 10.





5. Usar o render Híbrido


Mais uma excelente opção, que chegou para nós na versão 3.6 do Vray for Sketchup. O Vray, por padrão, utiliza apenas o processador da máquina para renderizar (pois é, se você achava que uma mega placa de vídeo aceleraria os seus renders, até agora isso nunca havia sido bem uma verdade).


Mas agora, além de já termos a opção de render via GPU - que teve ótimas melhorias recentemente, e deve ter mais em breve -, agora temos a opção de renderização híbrida, que permite que a gente utilize o processador em conjunto com a placa de vídeo, na hora de renderizar. E, dependendo da GPU que você tem aí, pode fazer uma diferença considerável nos seus tempos de render.

Use essa opção para habilitar o uso da sua placa de vídeo




6. Não Use material “Emissivo” para Iluminar suas Cenas


Os materiais luminosos, ou Emissive Materials”, são incrivelmente úteis e eficientes para criarmos o efeito de materiais auto-iluminados.


Porém, é super comum vermos os jovens gafanhotos do Vray usando esse material para, de fato, iluminar a cena, e para isso colocando neles valores super intensos.


A consequência de quando fazemos isso, é um render muito mais demorado e, muito provavelmente, com vários bugs (manchas, fireflies, splotches de luz, etc).


“Fireflies” são esse “potinhos brilhantes” aparecendo aleatoriamente na cena

“Splotches” são essas “manchas” causadas por erros durante os cálculos de luz

Isso acontece justamente porque, como citado anteriormente, os “emissives” não são feitos para iluminar. Então, a regra para ter sucesso nesse caso é simples:


Use os Emissive Materials apenas para gerar o “aspecto de luminosidade” para os seus materiais (e evitando valores muito altos), e use as Vray Lights para iluminar, de fato, as suas cenas. Elas sim fazem esse trabalho com qualidade e de maneira otimizada!



7. Vray Cloud


E essa aqui é para fechar com chave de ouro! A Vray Cloud é um serviço de renderização em nuvem da própria Chaos e que foi lançado recentemente. De maneira resumida, ele permite que você tenha o que a galera costuma chamar de “PC da Nasa” à sua disposição!


Uma das várias coisas incríveis desse serviço, é ser absurdamente simples renderizar usando o Cloud. O botão para isso fica dentro do próprio Vray, conforme vocês podem ver na imagem abaixo:


A gente poderia ficar aqui horas e horas falando sobre o quão incrível é a Vray Cloud - que por sinal, o acesso ainda é/está gratuito - e o fato de você poder renderizar uma imagem em 4K em 2 ou 3 minutos, mesmo se o seu PC daqueles bem fraquinhos. Mas pra facilitar, a gente fez um vídeo completo sobre ela pra vocês! Se liguem só:



Além disso, se liga também nesse vídeo aqui que a gente vez 👇




Vale lembrar: se você fez tudo para otimizar, e ainda assim os renders estão bem demorados, então pode sim ser que o problema esteja no seu computador ou Notebook. Nesse caso, separamos 2 matérias para vocês:


>>>Meu PC é Bom para Render?

>>>Como Montar meu PC para Render


E aí, curtiu as dicas? Então, não esquece de compartilhar a matéria com seus amigos e também de deixar seu comentário aí embaixo nos dizendo sua opinião! =D

13,904 visualizações
Logo_horizontal_claro_252x37.png

Criar e compartilhar conteúdo sobre a área de maquetes eletrônicas é nossa paixão.

Galerias

Cursos

Siga-nos

  • Grey Facebook Ícone
  • Cinza ícone do YouTube
  • Grey Instagram Ícone

© 2014 - 2020 - Chahoud Cursos