07 erros mais comuns na hora de renderizar

Atualizado: 19 de Nov de 2019


Sabe aquela sensação de que tem alguma coisa faltando no render? Ou que tem algo deixando ele com cara de “desenho”, mas que a gente passa um bom tempo olhando pra imagem e não consegue identificar o que é?! Você pode até dizer que não, mas nós sabemos que você já passou por isso algumas vezes na vida durante os seus jobs e estudos.


E é justamente pensando nisso que a gente reuniu pra vocês os 07 erros mais comuns cometidos por quem está iniciando na área. Afinal, aprender com os erros dos outros economiza tempo e dinheiro!


>>> Quero Começar no ramo de 3D para Arquitetura! E agora?



1. Textura com Emendas


Esse é o primeiro da lista e é simplesmente clássico! Texturas com emendas são uns dos vilões que “denunciam” mais rapidamente os renders da galera. As divisões abruptas nas texturas acabam deixando na cara que se trata de um render e não de uma foto, então, não podemos deixar passar batido!


Mas saiba que existem meios bem simples e rápidos de solucionar esse problema:


  • Quando pesquisar por texturas no google imagens, use o termo “Sem Emenda” depois do nome da textura. Para ter resultados ainda melhores, faça a busca em inglês. Então, se quer uma textura de madeira, por exemplo, utilize as palavras Wood Seamless Texture.


  • Um outro meio é fazer o download do software gimp, que é um programa gratuito. Abra a textura dentro dele > vá na aba Filtros > Mapear e clique na opção Mosaico Perfeito. Dê um ok na tela que aparece a seguir e mágica feita! Depois disso é só ir em exportar como e salvar sua nova textura sem emendas!


Print da interface Gimp

  • Baixar suas texturas de sites que já disponibilizam elas em boa qualidade e sem emendas. Uma dica de site incrível quando o assunto são texturas, é o SketchUp Texture Club. E se você quer que a gente faça uma matéria só com dicas de sites para baixar texturas de boa qualidade, não esquece de deixar o comentário lá embaixo. =D


Agora sim, dá só uma olhada em como texturas sem emendas já dão uma mega diferença!


Textura errada (ANTES)

Textura certa (DEPOIS)

Reparem que as emendas se foram, mas algumas repetições ainda estão visíveis. Porém se nós simplesmente aplicarmos ela no modelo (em um piso, por exemplo) de forma randomizada, usando um plugin como o Eneroth Texture Positioning, ela funcionará perfeitamente, o que não aconteceria se a textura tivesse emendas.



2. Modelos repetidos


E super comum nós pegarmos alguns modelos como árvores, por exemplo, e simplesmente sairmos copiando várias delas pela cena, sem mexer em mais nada. O que acontece é que praticamente nada na vida real tem uma cópia completamente idêntica. Usando o exemplo das nossas “prantinhas” do coração uma vez mais, quando observamos na rua, podemos ver que cada uma delas tem altura, largura, disposição das folhas, densidade, entre outras coisas, diferente das demais.


Uma dica para randomizar facilmente vários modelos de uma única vez, é utilizar o plugins CLF Scale and Rotate. Depois de instalar o plugin, vá em Extensões > Chris Fulmer Tools > Scale and Rotate Multply e clique na opção Scale and Rotate Randomly. Nas opções Min. e Max Scale Factor nós controlamos a variação de escala dos objetos, em porcentagem; e em Min e Max. Rotation nós controlamos a variação deles em graus.


Dá uma olhada abaixo e veja como a imagem na qual variamos o tamanho, rotação, tipo e até a densidade das árvores, ficou muito mais natural que a anterior:


(ANTES)

(DEPOIS)



3. Modelos de baixa qualidade


Modelos de baixa qualidade também são grandes vilões no que diz respeito a deixar os nossos renders com cara de “falsos”. Procurem modelos que se pareçam ao máximo com o que temos na realidade. Um modelo com qualidade ruim resultará em comportamentos físicos (projeção de sombras, reflexos, refrações, translucência, etc) também ruins.


Às vezes passamos um bom tempo tentando melhorar a configuração dos materiais de uma Louis Ghost ou de um Chesterfield, por exemplo, sendo que, por mais complexa que as configurações dos nossos materiais estejam, se o modelo estiver ruim, é tudo praticamente em vão. Reparem abaixo em como tudo se comporta diferente quando o modelos que inserimos na nossa cena, tem uma modelagem realista:


(ERRADO)

(CERTO)


4. Falta de entorno


Por mais que o projeto em que estamos trabalhando seja o nosso foco, o item no qual normalmente passamos mais tempo detalhando e damos mais atenção, ainda assim é importante pensarmos no que vai ficar em volta dele. A composição que estará “contornando” o projeto também poderá fazer grande diferença, tanto no impacto quanto no realismo.


Afinal, um projeto que tem casas vizinhas, árvores e outros itens que podem compor o entorno, soa muito mais natural do que um projeto simplesmente “jogado” no meio do nada, não?


(SEM ENTORNO)

(COM ENTORNO)

5. Background não de acordo


Colocar um BG bacana, com certeza vai deixar seu render mais impactante. Mas vai com calma, companheiro… Um céu super laranja de entardecer em uma cena com iluminação de meio-dia não fica nada real(por que será, né?). Busque referências de fotos reais que tem o mesmo tipo de iluminação que você usou e insira um “fundo” que seja coerente com a luz da sua cena.


Além disso, tome muito cuidado também com a posição do sol. Não é nada raro ver gente homenageando a Cássia Eller (a gente brinca mas é sério, hein?!) nos renders, deixando o sol no render de um lado, e inserindo um BG em que o sol está vindo do lado oposto. E vamos combinar que não fica nada bacana, ok?!



Exemplo de imagem com iluminação e background não coerentes… a iluminação é de algo entre 15h e 16h, mas o Background é de pôr-do-sol.


6. Objetos fora de escala


Sabe quando você já conferiu todos os itens anteriores e mesmo assim acha que tem alguma coisa errada no render, mas que você não consegue descobrir o que é? Pois então, a chance de ser um objeto fora de escala no render é bem grande. Tome cuidado com as dimensões do modelo que você vai inserir. Muitas vezes, uma simples busca no tio Google, como “dimensões sofá 2 lugares” pode te salvar. Uma cafeteira do tamanho de um Pastor Alemão não é nada real, viu?!


Exemplo de imagem com objetos (notebook, relógio, cadeira e vaso de planta) com escalas incorretas

Exemplo de imagem com objetos com dimensões corretas


7. Enquadramento falso


O modo como definimos o enquadramento da imagem, muitas vezes pode ser o fator decisivo entre um render falso e um render realista. Claro que toda regra tem sua exceção, mas também é um fato que, quando colocamos a altura do observador (ferramenta Altura dos Olhos”) com valores que normalmente não correspondem aos reais, como se ele estivesse vendo o projeto de um helicóptero ou algo assim, a chance de os nossos renders ficarem com “cara de desenho” ou “maquete”(irônico, não?) são bem maiores.


Enquanto isso, definindo a altura do observador com uma altura próxima à altura média de uma pessoa (algo em torno de 1,65m), pode fazer o render parecer mais real, pois mostra a cena por um ângulo em que nós estamos acostumados a ver no nosso dia-a-dia. Contudo, é importante lembrar que toda regra tem sua exceção. Sempre busquem referências!


Opção “Altura dos Olhos”


8. Bônus: Achar que PC bom faz RENDER bom


E essa aqui é pra fechar com grande estilo! Imagine você passar uma semana trabalhando em um único render: horas e horas buscando referências; caprichando em cada detalhe da modelagem do projeto e do entorno; fazendo testes e mais testes pra ter uma iluminação que valorize ao máximo o projeto; fazendo configurações de materiais super complexas para deixá-los extremamente realistas; e por fim, uma pós-produção super dedicada.


O resultado foi uma imagem simplesmente incrível, realista, de fazer qualquer um achar que fosse uma foto tirada por um fotógrafo profissional! Depois disso tudo, você posta o render em um grupo no facebook, e os 2 primeiros comentários são: “seu computador deve ser muito potente” e “queria ter um computador melhor pra poder fazer render assim”.

>> Como Deixar o SketchUp Mais Leve


>> Como Renderizar 10x Mais Rápido


Se você já teve ou ainda tem esse pensamento, saiba que: uma boa máquina, com toda certeza, ajuda no seu rendimento, mas lembre sempre que: uma mesma cena, com as mesmas configurações, vai ter um resultado igual, seja em um PC “à manivela” ou um “PC da Nasa”, como costumamos brincar. A diferença aqui vai ser o tempo entre o início e a conclusão do trabalho. Claro que existem outras variáveis, mas a mensagem é: o modo como você usa suas ferramentas é muito mais importante do que as ferramentas em si!


A imagem abaixo, é apenas para mostrar um pouco disso: tanto o arquivo do Sketchup quanto a renderização ficaram super leves. Em um PC com um I3 e uma placa de vídeo mediana, por exemplo, a viewport não ficaria nada travada, e o render levaria no máximo 2 horas. O importante aqui foi como a iluminação, a composição e os materiais foram tratados.



Ah, mas pra aprender a gente também precisa gastar. Com faz, então?!

A Chahoud Cursos criou 3 Cursos Online, 100% Gratuitos e Com Certificado e vamos deixar os links abaixo para vocês! Então se você quer começar na área, antes de investir em qualquer equipamento, invista antes o seu tempo em adquirir conhecimento! ;D


Curso Gratuito e Com Certificado de Sketchup


Curso Gratuito e Com Certificado de Vray para Sketchup


Curso Gratuito e Com Certificado de Photoshop


E aí, curtiu a matéria?! Se sim, então deixa ali abaixo o seu comentário dizendo para nós o que achou, e também quais assuntos você quer ver a gente falando aqui no site! o/

82,456 visualizações5 comentários
Logo_horizontal_claro_252x37.png

Criar e compartilhar conteúdo sobre a área de maquetes eletrônicas é nossa paixão.

Galerias

Cursos

Siga-nos

  • Grey Facebook Ícone
  • Cinza ícone do YouTube
  • Grey Instagram Ícone

© 2014 - 2020 - Chahoud Cursos