Por que todo profissional de archviz deveria aprender fotografia

Atualizado: Set 10

Você quer ser um profissional de archviz? Ou é um arquiteto/designer que usa o archviz para apresentar os seus projetos? Em ambos os casos a fotografia deveria ser matéria de lei pra ti, independente do software de modelagem ou renderização que você usa.


Quer entender um pouco mais sobre isso? Então, cola aí que eu vou te falar 05 motivos pelos quais eu acho que TODO mundo que trabalha com archviz (3D pra arquitetura) deveria aprender fotografia 👇



Motivo 01: Archviz é fotografia em um universo 3D


Com o perdão da licença poética aqui - eu sei, o universo que vivemos já é tridimensional, você me entendeu, vai… Mas o que eu realmente quis dizer com isso, é que quando modelamos um projeto em 3D no SketchUp, e renderizamos ele no V-Ray, por exemplo, o que estamos fazendo é fotografando esse projeto, só que no universo da computação gráfica e usando a câmera do renderizador.


O que mudou aqui foi apenas a ferramenta, mas todos os princípios de fotografia se mantém! Quando um fotógrafo de arquitetura vai fotografar uma fachada, por exemplo, ele passa algum tempo escolhendo o melhor enquadramento, buscando a luz mais legal e ajustando a exposição na câmera pra imagem não ficar nem muito clara e nem muito escura. Qualquer semelhança entre isso e o que você faz quando vai renderizar uma cena, não é mera coincidência! 😁

Foto por Felipe Lima. Fotografia de Arquitetura
Render por Flávia Leite.


Motivo 02: Entender as características básicas de uma imagem


Quantas vezes você acabou um render e ficou com a sensação de que ele não estava muito legal? Pode ser até que os modelos tenham sido bem escolhidos, os materiais configurados com cuidado, e o render bem configurado para não ter manchas ou “granulados”, e mesmo assim você ficou com a sensação de que não estava bacana.


Muitas vezes isso rola por motivos muito simples tanto de entender quanto de resolver, como por exemplo: a imagem estar subexposta (escura demais); superexposta (excessivamente clara); com os níveis de saturação de uma ou várias cores muito altos; com baixo contraste; ou até mesmo com o balanço de branco mal equilibrado. Mas todos esses termos e conceitos fazem parte de um conjunto de características “básicas” para que uma imagem (foto ou render) fique/seja boa, e quem estuda fotografia domina esses conceitos muito mais cedo.

Foto superexposta. Foto por Derek Swalwell.
Foto com balanço de branco não equilibrado. Foto por Derek Swalwell.
Foto com boa exposição, contraste, saturação e balanço de branco bem equilibrados. Foto por Derek Swalwell.


Motivo 03: Aprender a desenhar com a luz


A palavra photography (fotografia, em inglês) vem dos termos gregos "photos" e "graphé", que significam nada mais que "drawing with the light", ou simplesmente, "desenhando com a luz". Poético, não?


Uma das coisas mais importantes em fotografia é entender a luz, seu uso e suas influências na nossa percepção da imagem. A luz é a principal responsável por percebermos volumetria e profundidade quando olhamos pra uma foto ou render, e também é explorando diferentes tipos, cores e intensidades de luz que podemos mudar completamente o “clima/sentimento” de um mesmo lugar.

Render por Santi Sanchez.
Render por Santi Sanchez.
Render por Santi Sanchez.


Motivo 04: Conhecer técnicas de composição


Ao longo dos séculos, diversos artistas de artes visuais de modo geral estudaram como funciona a mente humana. Quais padrões mais atraem os nossos olhos? Pra onde olhamos primeiro quando vemos uma foto? Entendendo questões como essas, várias técnicas de fotografia diferentes foram sendo desenvolvidas e adotadas, como por exemplo, o “framing”, a regra dos terços e a regra da proporção áurea. Compreendendo o uso dessas técnicas, você poderá aplicá-las nos seus renders, com o objetivo de aumentar o impacto e prender a atenção das pessoas que veem os seus trabalhos.

Render por Mohit Sanchaniya.


Motivo 05: Conseguir guiar os olhos do espectador


Uma das principais habilidades que todo bom fotógrafo deve perseguir, e que é de igual modo essencial para um profissional de archviz (afinal, à essa altura você já entendeu que de certa forma você também é um fotógrafo, certo? 📸), é a de saber como guiar os olhos do espectador, de fazer com que as pessoas naveguem pelas suas fotos e renders de acordo com a história a ser contada e o objeto principal a ser enfatizado.


Mas como fazer isso? Ao estudar fotografia você vai descobrir que existem diversas maneiras, que vão desde as técnicas que citei no tópico anterior, ao uso das linhas de uma imagem, passando pelo uso de diferentes temperaturas e intensidades de luz, e até mesmo com efeitos de lente, como é o caso do Depth of Field (profundidade de campo).

Render guiando o olho do espectador. Render por David Silva.

E aí, se animou para estudar mais fotografia e aprender a impactar e encantar as pessoas com os renders criados através da câmera do seu renderizar e, principalmente, do seu olhar de fotógrafo? Caso sim, o Curso Highlight pode ser uma boa opção para você, nele vamos ter um módulo pra falar exclusivamente dos conhecimentos de fotografia aplicados ao archviz 💪 Bom, por hoje é isso, nos vemos na próxima!

766 visualizações
Logo_horizontal_claro_252x37.png

Criar e compartilhar conteúdo sobre a área de maquetes eletrônicas é nossa paixão.

Galerias

Cursos

Siga-nos

  • Grey Facebook Ícone
  • Cinza ícone do YouTube
  • Grey Instagram Ícone

© 2014 - 2020 - Chahoud Cursos